sexta-feira

Inspecções para Motos


Não quero entrar em politicas, ou discussões sobre politicos,
Pois já o meu Pai dizia:
- Filho afasta-te de conversas sobre politica, bola ou religião...
porque elas nunca acabam bem, e nunca chegam a lado nenhum...

MAS MEUS AMIGOS,
em 2012 tentaram implementar as Inspecções Periódicas para as Motas,
e por coincidência nesse mesmo ano a Comunidade Europeia chegou a simples conclusão e baseada nos países que já tinham implementado as Inspecções, que eram tempo e dinheiro perdido para os proprietários das Motas.
Como tal foi decidido pela Comunidade Europeia, que até 2022 não iriam implementar mais tal coisa,
devido que aquilo que iriam fazer nos "centros de inspecção" poderia ser feito em qualquer operação stop pelas autoridades.

Os governastes de Portugal,
que devem viver avançados no tempo pelo menos uns 6 anos em relação ao resto do mundo...
e como tal querem implementar, e têm já quase tudo preparadinho para implementar o que não resultou nos outros países, mas certamente vai resultar como belos lucros para alguns...

Pergunto eu: o IPO acabou com o tuning ilegal das 4 rodas ?
- eu acho que não... e está longe de lhe ter dado um fim!!

Não está em causa se concordo ou se gosto ou não do "tuning ilegal". 
Onde eu quero chegar é que não acabou com o tuning ilegal, 
pois apenas dificultou e deu trabalho a eles antes e depois das inspecções.
O grande combate a esse "tuning ilegal" foi as operações stop bem planeadas que atingiam os pontos de encontro e as suas actividades ilegais ou não...
(e mais uma vez lembro, não interessa se sou contra ou a favor de tuning, apenas estou a constatar o que acho ser um facto)







- e como fico eu no meio disto tudo ?
Pois eu tenho a minha "Menina" toda original,
e ainda está tal como saiu do stand quando a comprei... e venha o que vier que estou safo.

Mas estou cansado de ser aspirado d€ todos os lados...
Se eles querem "guerra" ?
eles não devem querer, mas espero bem que venham a tê-la...
e que seja daquela boa e forte...

Como tal vou abraçar essa "guerra"

 f  G.A.M (Grupo de Acção Motociclista)


Dia 19 Junho vou lá estar :
se eu não for... porque alguém irá por mim, e se todos pensarmos assim!
então quem é que vai lá estar??

Pelo que sei estão agendadas 3 ou 4 manifestações em simultâneo dia 19 Junho pelas 17h

Porto / Lisboa / Faro / e talvez também na Ilha da Madeira

em Lisboa o ponto de encontro vai ser Praça do Rossio
Porto - Avenida dos Aliados
Faro -  Praça S. Francisco

...e faço questão de ir e voltar sem deixar descarrilar o meu bom senso,
sem alimentar ou participar em situações que nos tirem a razão...




OBR pela visita
e se me encontrarem por lá... dei-me um toque, digam qualquer coisa, que eu pago uma cafézada...
Edgar



      EDITADO         (depois da manif)


E lá fomos...
Foi um daqueles dias em que vi a nossa "Irmandade" das duas rodas, mostrar que está viva e que respira boa saúde.

Gostei do que vi em Lisboa, e segundo li nas redes sociais e vi na imprensa, o Porto e Faro este ao mesmo nível ou até talvez melhor... bom !! mas o importante é que estivemos todos bem.
Na cidade do Porto foi mais ou menos assim: reportagem do AMEC- Mototurismo

O dia escolhido não podia ser melhor,
e um domingo ao final da tarde, não prejudicou pessoas alheias ao manifesto
nem constrangimento no transito.
Éramos largas centenas, (ou talvez uns milhares) e deu para ver a Av. 24 Julho completamente cheia de Motas a rolar até à Assembleia da Republica.

A população e os muitos turistas que por Lisboa andavam, receberam-nos com uma enorme surpresa curiosidade e com caras sorridentes,
e via-se nas expressões deles, alegria de verem aquele enorme aglomerado de Motas...
uma coisa do tipo:  - Alguém  tem que lutar, e não interessa sobre o quê! se estão a manifestar-se certamente é por uma boa causa...

Sem nunca perder-mos a razão ou o sentido do que é certo ou errado, chegamos ao nosso destino...





Fomos recebidos por um aparato policial, que é habitual neste tipo de coisas
mas a policia estava lá para ajudar e nós para colaborar com ela.
E tudo correu bem... sempre num clima muito civilizado.

Eu tive alguns segundos de "gloria" na TV
que deu motivo risada para a malta que me conhece e que viu tal coisa... eheheh
- Éiih pá, mas tu tás em todas... eheheh






Também fomos recebido pelo deputado Miguel Tiago,
que recebeu o nosso manifesto e fez algumas declarações no final  
(ver video: https://youtu.be/p1MfWQQbu2I )





        Manifesto        

MOTOCICLISTAS CONTRA A FARSA DAS INSPECÇÕES ÀS MOTOS
RAZÕES DE PROTESTO

Aos Grupos Parlamentares da Assembleia da Republica Portuguesa



Solicitamos à Assembleia da Republica Portuguesa que acompanhe esta questão das inspecções às motos para que o governo, em vez de penalizar os motociclistas sem qualquer contrapartida, preserve e até incentive a utilização de um meio de transporte cada vez com maior aceitação social, devido às suas grandes vantagens em termos de mobilidade, economia financeira e de recursos energéticos, com consequentes vantagens ambientais, assim como, economia de espaço sobretudo nos grandes centros urbanos, onde este é um problema crescente e de muito difícil gestão.

Assim:


- Estranhamos que o anúncio do início das inspecções às motos tenha sido feito pelo presidente da Associação Nacional dos Centros de Inspecção Automóvel (a ANCIA que tem óbvios interesses económicos directos na situação), e não por elemento do governo com poder de tomar essa decisão. Não é conhecida uma posição clara do governo sobre esta matéria.


- Os motociclistas não estão contra as inspecções periódicas e obrigatórias às motos! Não aceitam é que as inspecções sejam movidas, única e exclusivamente, por meros interesses económicos e que se tente justificar esta decisão com falsos argumentos de segurança.

- Os motociclistas são a favor das inspecções desde que estas representem uma mais-valia efectiva para a prática do motociclismo. O que não se prevê considerando até o panorama das “inspecções periódicas obrigatórias” em vigor para outros veículos. 

- Os motociclistas querem ser parte integrante do processo, contribuindo com a sua experiência para tornar as inspecções efectivamente relevantes.

- Os “Centros de Inspecção” devem ter algum grau de responsabilidade posterior e inerente ao acto de aprovação de um veículo numa inspecção. Um acidente de um veículo “inspeccionado” provocado por alguma falha mecânica, deve ser devidamente analisado e no caso de ser detectada negligência no acto da inspecção deve-se responsabilizar quem a fez.

- Queremos preservar a cultura motociclista, nomeadamente na área da personalização de motos, o que acontece na maioria dos casos através de processos de autêntica reciclagem de motos já fora de circulação, mas que, devidamente recuperadas e remodeladas, voltam a reunir condições para rodarem, regra geral, até com melhorias significativas em termos de segurança. Deve-se ter em atenção que esta é uma área empresarial no nosso país que dá trabalho a muita gente.

- Não existe legislação que permita as inspecções no imediato! Neste momento, está por publicar a portaria que fixa as condições e datas de implementação que, por seu turno, está dependente do processo de aprovação das condições dos centros de inspecção para a vistoria de novas categorias de veículos.

- Foi dito pelo presidente da ANCIA que as inspecções teriam início a 1 de Outubro e até falou no custo de 12,50 € mais IVA mas não falou do que é realmente importante: quais os parâmetros a avaliar ou os intervalos temporais dessas inspecções. A preocupação maior (a única defendida pela ANCIA!) prende-se com a necessidade de rentabilizar o equipamento já instalado por muitos centros de inspecção. Porque fizeram esse investimento se não existia qualquer legislação nesse sentido? Quem ditou as regras das inspecções, nomeadamente quais os parâmetros a avaliar?

- O Código de Estrada possui regras bem claras quanto às condições que cada veículo deve exibir para circular na via pública, nomeadamente quanto a luzes, piscas, espelhos, estados dos pneus, documentos, etc. Assim, questionamos se as inspecções serão apenas uma forma de controlar o trabalho das polícias?

- Quanto ao facto de quererem ver as inspecções alargadas a todos os motociclos e ciclomotores desde os 50 cc, o responsável da ANCIA foi claro ao dizer que esta seria a única forma de amortizar os elevados investimentos feitos pelos centros de inspecção. Nunca falou na questão das mais valias que esta medida poderia trazer para os motociclistas; certamente porque tem consciência de que não existem nos moldes como está a ser preparada.

- Recorde-se que a redacção de uma Norma Comunitária sobre inspecções às motos ficou adiada até 2022, precisamente por falta de consenso a nível do Conselho da Europa; segundo estudo efectuado na Comunidade Europeia, apenas menos de 3% por cento dos acidentes com motociclos são causadas por falhas mecânicas, o que não justifica minimamente a relação custos/benefícios da implementação das inspecções.

- Apenas mais um pormenor de alguma importância para outros que não andam de moto. Assim, não quisemos provocar qualquer incómodo aos restantes cidadãos que têm de se deslocar em dias de trabalho no Porto, Lisboa, Faro e Funchal, por isso, marcámos esta acção de protesto para um domingo à tarde; precisamente para criar as mínimas complicações aos outros utentes da via pública.

- Agradecemos a vossa atenção ao exposto na esperança de que possamos contar com o vosso apoio nesta causa de defesa das motos e dos motociclistas.


GAM-Grupo de Acção Motociclista
Antonio Manuel